Meu Querido Diário

06 fevereiro 2012

Oi meus amores, tudo bem com vocês??
Então, hoje fui na GO, tirei umas duvidas e encuquei com algumas coisas rsrs.
Ela me pediu dois exames, porém um acho que não irei fazer rsrsrs... Ela pediu o Papanicolau, pois o meu é de Out/2010 e BHCG, o que eu não estou com vontade de fazer é o BHCG.
Cheguei no consultório, e ela perguntou quando foi minha última menstruação, eu respondi que foi dia 27/112/2011. Daí ela perguntou que remédio que eu estava tomando, eu disse que era o Diclin, porém eu esqueço de tomar as vezes ou seja, minha menstruação pode estar atrasada por conta disso.
Pedi um indutor de ovulação, ela não me receitou, pois ela disse que meu ovário tem micropolicisticos, porque eu ovulo direto, mas desregulado. Mas o que ficou no ar é: Quando se tem Ovário Policistico, é porque não se ovula direito, então COMO ela me disse que ovula direto durante o mês até mais que uma mulher normal, porém é desregulado, se fosse assim eu já estaria grávida há muito tempo, porque por falta de treinos que não é! E novamente vou ter que ir em outra GO pra tirar todas as dúvidas o problema é que ta dificil achar um GO descente e que realmente saiba o que está fazendo hehe.
Uma coisa que ela disse e a única que fez sentido pra mim, foi que pra se tratar um ovário policistico tem que tomar anticoncepcional regularmente tudo direitinho, agora de resto, falou, falou e não falou nada.
Bom eu posso estar errada, mas o que eu sei sobre a Síndrome dos Ovários Policisticos é isso, e que alguns fóruns de tentantes é que a maioria conseguiu tomando indutor e com Ovarios Policisticos.
O BHCG ela me pediu pois tem umas mudanças no meu corpo que ela disse que também pode ser efeito do remédio.


Tais como:
- Inchaço dos Seios. Nossa eles estão enormes a ponto do que eles são normalmente, quase não tenho, mas nessa última semana eles desabrocharam rsrsrs..
- Veias verdes e à mostra na pele. Bem meus seios estão praticamente verdes hahaha..
- Seios doloridos. Esse só por Deus, rsrs. Porém não é no bico é nos seios mesmos...
- Acne. Bom, espinha todo mundo tem, porém está pipocando drasticamente o meu corpo, como e não bastasse só o rosto, nem maquiagem está disfarçando, essas monstras. HAHA
- Ausência de Menstruação, porém com um spotting bem leve. Não vou dizer que não sangrei esse mês pois sangrei, mas não durou um dia sequer, foi mais uma manchinha do que spotting.
- MUCO CEVICAL. Gente foi a primeira vez que consegui ver, até mostrei pro meu lindo que estava no banho hahaha... Muita emoção. (Na verdade acho que esse foi o único sintoma que fez a médica pedir o exame BHCG)
Bom, esses sintomas podem dizer que é gravidez ou efeito do remédio.


Eu tenho essa duvida, pois quando descobri que estava grávida, foi por esses mesmos sintomas, acompanhados de fome e sono excessivos, bom a fome já está fazendo parte do meu calendário.
Porém, também acredito que seja por conta do remédio, não to querendo me iludir e nem querendo fazer vocês acreditar que eu esteja grávida.
Uma que como eu disse essa ia ser minha última tentativa de tentar engravidar esse ano. A INDUÇÃO.
Porém não fui autorizada a fazer isso. Vou tentar lembrar de tomar o AC e ser feliz rsrs.


Iai meninas, qual a opinião de vocês?
Preciso da ajuda de vocês!!! O que eu faço? rsrsrs

Beijos, Amanda Lima

Meu Querido Diário

02 fevereiro 2012

Bom gente, eu sei que quase não estou postando aqui no Blog, mas é porque ando mesmo meio desanimada, sem saber o que postar...
Então, segunda feira tenho consultinha básica no GO. Ainda estou na duvida se peço um indutor ou só a ultrassonografia pra ver como está meus ovários...
Essa dúvida está me corroendo. Não sei se quero um bebê agora, depois de tanto tentar, e não ter resultados, acho normal a gente se abala um pouco perante isso.
Optei pelo tratamento como havia dito aqui. Mas fiquei pensando sobre, e assim, eu e meu amor estamos passando por umas mudanças,  estamos pra nos mudar, só que é tanta enrolação sobre a casa que até cansa sabe?!Temos que esperar a casa ser liberada, pra poder arrumar e poder mudar... ta uma coisa de louco, por isso que penso se não é melhor deixar pra mais pra frente...
Minhas vontades estão misturadas, muito confusa em relação a isso, porém sempre confiante em Deus. Aprendi a deixar nas mãos Dele, e continuar com a melhor parte que é o treino hehe....
No momento certo Deus vai me entregar meu presentinho lindo... Queremos muito que seja a Maria Luisa, mas se vir um Eduardo vamos amar também... Mas não vamos ficar pensando em que sexo será do nosso primogênito antes mesmo de engravidar.. Um passo de cada vez, de preferência começando com o pé direito  hehe...


Bom pra falar a verdade esse post foi pra dizer que HOJE eu entendi o que aconteceu lá atrás, pois Deus sempre sabe o que faz, e só hoje eu pude enxergar o verdadeiro motivo daquela perda, vou explicar, pois sempre digo que entendi e nunca explico rsrs.


Então, hoje era pra eu estar  exatamente com 39 SEMANAS, o meu parto estaria previsto pro dia 7 DE FEVEREIRO de 2.012, ou seja, estaríamos muito, mas muito encrencados hehe... justamente por causa da casa e tudo mais... Imagina? Tomar conta de um recém-nascido e planejando a reforma de uma casa? Com o caixa negativo? Deus sabe realmente o que faz, e hoje eu não agradeço por ter perdido, mas sim por ele não ter permitido a gestação ter continuado, pois nossa situação está melhorando agora, então se eu pegar uma gravidez hoje por exemplo, daqui nove meses posso dizer que teríamos uma condição muito melhor pra cuidar do nosso bebê...
Bom é isso, rsrs.
Não garanto posts até segunda. Mas dia 6 vou postar siim!
Talvez até estréie meu Vlog, vamos ver, rsrs



Beeeijos, Amanda Lima

Ansiedade na gravidez

27 janeiro 2012

Essa matéria foi retirada do Blog da Patricia Maldonado


Se você está grávida como eu vai entender exatamente o post de hoje: como a gente fica ansiosa!!! Pelamor!
Se está no começo da gravidez, a ansiedade é pra ver a barriga crescer. Depois, queremos ver o bebê no ultrassom (será que tem todos os dedinhos? Será que é a minha cara? Etc). E, no final, queremos conhecer esse serzinho que nos acompanha há nove meses!
Pois eu estou nesta fase: não vejo a hora de pegar minha Maitê nos braços, de apresentá-la à irmã, de ter minha família reunida!
O que significa isso? Que eu quero me jogar em qualquer leite condensado, em qualquer pizza, em qualquer bolo de chocolate que aparece na minha frente! De vez em quando, confesso, até faço isso (me jogo meeeesmo!).
Mas, na maioria das vezes, faço um suco de frutas, pego meu iPod e dou uma caminhada na pracinha perto de casa, curtindo a música, o solzinho do fim da tarde - que é quando eu tenho mais fome de besteira! Parece coisa de gente maluca mas...sabia que ajuda? Quer dizer: ajuda, mas a força de vontade é tudo!
Parece frescura, mas uma coisa é certa: quem engorda muito durante a gravidez prejudica a própria saúde e a do bebê! Na minha primeira gravidez engordei 9,5 kg. Dessa vez já engordei 9 kg (36 semanas) e ainda falta um tempinho pra ela nascer...vamos ver até o final como vai ser.
De qualquer maneira, nada como ser uma grávida elegante, vai gente? Nada de achar que pode virar uma baleia nessa fase, combinado? Quando uma gestante engorda muito pode desenvolver diabetes gestacional, pressão alta, entre outros problemas. O bebê pode até nascer antes do esperado, sabia?
E fora que voltar à forma anterior não é moleza...já passei por isso uma vez e posso garantir: mesmo engordando só nove quilos e meio demorei um ano pra voltar ao meu corpo (e aí engravidei de novo!!!!!!! A louca, né?).
Enfim, acho que já era esse papo de que grávida pode comer o que quiser, que está tudo liberado. Para o bebê não é legal a mãe se entupir de chocolate, por exemplo...ele precisa de nutrientes para crescer e nascer saudável! Vamos nos cuidar e cuidar de quem vem por aí?
Beijos!

Patrícia Maldonado, 36 anos, é mãe de Nina (um ano e meio) e Maitê (em breve), além de filha, esposa, dona-de-casa e apresentadora de TV, atualmente na Band. Ufa! Apesar de parecer que a vida dela é um caos, no fim dá tudo certo

Meu Querido Diário

20 janeiro 2012

Oii gente!!
Bom hoje eu vou começar com o meu diário virtual, por enquanto será um diário virtual sobre o meu tratamento, quem sabe até Junho isso aqui nao vire um diário de uma gravidez? OAIEOAIOEA'
Ontem antes de dormir, decidi que não vou mais tentar ter um bebê, por mim só. Quando digo por mim, quero dizer sem tratamento médico, porque percebi que sozinha nao consigo.
Tenho consulta marcada pro dia 06 agora. Vou pedir tratamento com indutor, pra ver se agora consigo ter meu filho, porque ta dificil viu? rsrs'
Mas podem ficar tranquilas, que antes de engravidar ainda tenho muitas coisas pra postar aqui!
E peço de coração que me ajudem, dando dicas do que vocês querem ver aqui.
AHHH e estou pensando num possível VLOG.
Se tudo der certo teremos vídeos aqui no Blog também. disse que seria só quando engravidasse, mas acho que gravar o tratamento também seria legal.
Mas temos que ver como vai funcionar... Tenho que treinar edições de vídeos e tudo mais hehe..
Conto com a ajuda de vocês, pra que esse Blog fique cada vez maior, mais bonito e com mais mamães..


Beeeijos Amanda Lima!

O Aleitamento Materno e Sua Dieta

17 janeiro 2012


O que preciso comer se estou amamentando?
Enquanto estiver amamentando, é muito importante que você e seu bebê ingiram alimentos saudáveis. O consumo de bons alimentos produz bom leite. Você precisará comer maior quantidade de alimentos para dar a seu corpo a energia, proteínas, vitaminas e minerais necessários. A informação a seguir ajudará você e seu bebê a se alimentarem bem desde o princípio.

Consuma alimentos dos 5 grupos alimentícios básicos 
· Pão, cereal, arroz e grupo de massas. Consuma entre 6 a 11 porções diariamente.
· O grupo de vegetais que inclui verduras e vegetais maduros. Consuma entre 3 e 5 porções diariamente.
· Frutas: consuma entre 2 e 4 porções por dia.
· Carne, aves (galinha, peru), pescado, ovos, feijões ou nozes. Consuma entre 2 3 porções ao dia.
· Produtos lácteos como leite, queijo, iogurte. Consuma entre 2 e 3 porções ao dia.

Devo ter cuidado especial ao preparar e cozinhar os alimentos? 
Todos nós deveríamos nos interessar mais pelos produtos químicos utilizados para preservar nossos alimentos. Para eliminar os produtos químicos, lave e descasque as frutas frescas e vegetais. Corte e retire a gordura das carnes, aves e pescados já que alguns produtos químicos penetram nas carnes. Não consuma peixe que possa ser proveniente de águas contaminadas. A água contaminada é aquela que é conhecida por conter uma quantidade perigosa de germes que podem ser a causa de algumas doenças.


Necessito consumir mais alimentos enquanto amamento meu bebê? 
Você necessitará consumir entre 400 e 500 calorias adicionais por dia enquanto estiver amamentando. Se estiver amamentando gêmeos, você necessitará de 800 calorias adicionais por dia. Após 6 semanas, poderá consumir alimentos que contenham um pouco menos de calorias. A melhor forma de saber se está comendo o suficiente será verificar seu peso com freqüência.



Preciso de cálcio adicional durante a lactação?
O cálcio é um mineral que fortalece seus ossos e seus dentes, assim como os de seu bebê. Você pode adquirir cálcio de muitos alimentos diferentes, tais como leite, iogurte e queijo. Outros alimentos ricos em cálcio são o salmão, as sardinhas, os feijões, as uvas passas, o suco de cenoura, couve, agrião e outras verduras.




Preciso também de ferro adicional? 
O ferro é um mineral do qual o corpo necessita para produzir hemoglobina. A hemoglobina é uma parte dos glóbulos vermelhos do sangue. Ela transporta o oxigênio desde os pulmões até o resto do corpo.
· Coma diariamente uma ou mais porções de alimentos ricos em ferro. O peixe, as aves, o cordeiro, o porco, moluscos e ostras são alimentos ricos em ferro. Outros alimentos ricos em ferro são o grão de bico, legumes, frutas desidratadas, sardinhas, fígado, o germe de trigo e a soja. As sementes de girassol e de abóbora são ricas em ferro.




Quanto líquido devo tomar?
Pelo menos 8 copos (do tamanho de uma lata de refrigerante) de líquidos diariamente devem ser tomados durante este período. A água é o melhor líquido para se beber e não contém calorias. Estes líquidos também podem ser sucos de frutas, leite, sopas ou "água de Seltz". Evite o café, o chá e os refrigerantes. Tome líquidos quando sentir a boca ressecada ou quando sentir sede. Tome algum líquido antes de amamentar o bebê. Mas não se "encharque" tomando líquidos demais. O excesso de líquidos diminui sua produção de leite.

É conveniente comer alimentos salgados durante a lactação?
Evite os alimentos salgados, embutidos e conservados em sal. Seu bebê não tolera grandes quantidades de sal no leite materno. Não adicione sal ao cozinhar os alimentos. Compre alimentos pobres em sódio como os queijos sem sal e as comidas leves.

Existem alimentos que produzam mal estar no estômago do bebê?
Seu bebê pode apresentar mal estar estomacal quando consumir determinados alimentos. Estes alimentos são introduzidos em seu leite materno e fazem com que seu bebê apresente mal estar estomacal dentro de 2 horas após haver amamentado. Você deve ter consigo uma relação dos alimentos que consome. Este registro pode ajudá-la a encontrar o motivo pelo qual seu bebê sente-se mal após alimentar-se. Os seguintes alimentos podem produzir mal estar em seu bebê: 

· Alimentos condimentados ou com alho.
· Alimentos que contenham cafeína como chocolate, café ou chá. Alguns medicamentos para resfriado contêm cafeína, a qual pode ser a causa de mal estar em seu bebê.
· Os alimentos do grupo dos lácteos como leite, queijo e iogurte.
· Grãos ou nozes tais como trigo, aveia, amendoim ou milho.
· Os alimentos que produzem gases como brócolis, pimentão verde, couve, cebola, couve de Bruxelas ou couve-flor. É possível que estes alimentos não causem mal a seu bebê se forem cozinhados ao invés de crus. 


Posso ingerir álcool durante o aleitamento materno?

Você não deve tomar álcool se estiver amamentando, pois este penetra no leite materno com muita rapidez após ser ingerido. O álcool que penetra no leite é quase tão forte quanto o que penetra em seu sangue. Por causa disto, seu bebê pode ter muita dificuldade para assimilar o álcool em seu corpo, que é pequeno, ou pode não gostar do paladar do leite. Seu reflexo de "descida" do leite pode diminuir devido ao álcool. 

Posso fazer dieta para reduzir meu peso durante a lactação?

Esta não é uma boa época para baixar de peso, pois pode reduzir a reserva de energia se fizer dieta enquanto estiver amamentando. Tentar reduzir seu peso irá diminuir sua capacidade para a maternidade e a produção de leite. 

Devo tomar vitaminas durante a amamentação?

Continue tomando as vitaminas que estava tomando no pré-natal a menos que seu médico recomende suspendê-las. As vitaminas não substituem os alimentos saudáveis que deve consumir mas podem dar um auxílio adicional. 

As decisões são suas

Você tem o direito de escolher a forma de alimentar o seu bebê. Se escolher amamentá-lo, deve aprender como sua dieta pode afetar você e ao bebê. Fale com seu médico a respeito de suas dúvidas ou preocupações que possa ter e juntamente com ele escolha o que for mais conveniente para você e seu bebê. O aleitamento materno não é obrigatório. 





Fonte: Boa Saúde

CITOMEGALOVÍRUS E GRAVIDEZ

16 janeiro 2012





O citomegalovirus (CMV) é um vírus herpes que predomina principalmente em regiões pobres e carentes de recursos, educação e higiene, pois se dá por contágio. Tem sintomas semelhantes à mononucleose e exige exames detalhados e tratamento, principalmente cuidados higiênicos. Nem todos os bebês, porém, nascidos de mães com CMV apresentam também diagnóstico para a doença.

Citomegalia
A massa de protoplasma que contém um núcleo e que constitui a unidade básica dos seres vivos é chamada célula. A citologia, que é o estudo das células, ganhou novas dimensões a partir da microscopia eletrônica, segundo Dr. Morris Fishben, autor da Enciclopédia Familiar de Medicina e Saúde. É essa facilidade que permite identificar os vírus que se instalam nas células, como o citomegalovírus.
Desmembrando-se a palavra, temos "cito" (para célula), "megalo" (que indica aumento, intumescimento do núcleo e do citoplasma da célula), e 'vírus' (o agente causador da citomegalia).
A citomegalia é mais comumente encontrada em países subdesenvolvidos, especialmente onde as condições de higiene são precárias, pois sua contaminação se dá quando a pessoa entra em contato com secreções do organismo como urina, esperma, secreções cervicais e vaginais, fezes, sangue e até mesmo o leite materno.

Da mãe para o Filho
Segundo Dr. Vitor Ramos de Souza, o citomegalovírus, assim como muitos outros (mononucleose, parvovirose, HTLV-1 e 2, Hepatite B e C etc) podem ficar escondidos dentro do DNA da célula do paciente. O citomegalovírus pode ser transmitido da mãe para o filho, via placenta.
O médico afirma que não é tão fácil o diagnóstico laboratorial - separar o que é realmente doença (presença do vírus e até sintomas) - e o que possa ter sido transmitido pela placenta da mãe para o nenê, ou seja, os anticorpos, que são só uma presença temporária no organismo da criança enquanto ainda no ventre da mãe.
A mãe pode contrair o vírus por uma ou mais das formas descritas acima. Desse modo, se a mãe, durante a gravidez, não observa os cuidados mínimos de higiene recomendados e não faz o pré-natal, ela pode ignorar que está contaminada. 
Dr. Vitor explica que quando uma gestante está sob suspeita de citomegalovirose e que poderia passar o vírus para seu feto via placenta, normalmente o médico inicia pedindo um teste para ver se a mãe tem sinais sorológicos da doença. Esse teste, de acordo com o médico, inclui a pesquisa de anticorpos da classe IgG e IgM para o citomegalovírus no sangue materno.
Se o teste der negativo, apesar dos sintomas, relata, ele muda de suspeita diagnóstica. Os testes de laboratório são um dos instrumentos decisivos, portanto, para a conclusão do diagnóstico. E se, porém, os testes forem positivos, o Dr. Vitor diz que as coisas complicam um pouco, pois não necessariamente o feto estará com a virose.
Como sair do dilema? Este é um assunto um tanto vasto, afirma Dr. Vitor, mas pode-se fazer um teste no sangue materno para ver se a doença está presente há poucos ou há muitos meses - trata-se do teste de avidez de IgG para citomegalovírus.
Os bons laboratórios das capitais, principalmente em São Paulo, fazem esse tipo de teste e há outros que, segundo Dr. Vitor, também o fazem com igual eficácia, provavelmente até com custo menor.
Se o teste for negativo, afirma ele, sugere um contágio antigo e não seria a causa provável do problema. Agora, se for positivo (com baixa avidez), poderá ser esta a causa. As análises podem também prosseguir com uma técnica chamada PCR, que detecta o genoma viral circulante ou até dentro do DNA humano.
A propósito, o citomegalovírus é encontrado apenas em humanos, segundo as pesquisas. Entretanto, afirma o médico, vários pesquisadores têm visto que se analisarem o sangue do cordão umbilical durante o nascimento, em busca do genoma viral, quase 70% das gestantes que tiveram ensaios positivos para citomegalovírus dão à luz recém-nascidos sãos. Isto quer dizer que os testes parecem supervalorizar a presença da doença e por isso se fala em casos falso-positivos.

Tratamentos e Cuidados
É preciso um bom acompanhamento médico em qualquer estado gestacional, e mais ainda se a gestação apresenta problemas como o caso do citomegalovírus. O Dr. Vitor explica que o diagnóstico pode ser obtido a partir de uma somatória de sintomas, sinais durante a gestação, ecografia e exame laboratoriais pertinentes. Isso, ele reafirma, requer a presença de um bom médico e também de bons serviços subsidiários.
O maior problema, acho que é sócio-econômico, pois a grande maioria, tem acesso apenas a serviços médicos públicos de baixa categoria espalhados pelo país, que infelizmente são pouco capazes tecnicamente.

Mais Informações Sobre o CMV
O Departamento de Saúde de Novo México, que mantém um centro especializado em doenças que incluem essa causada pelo citomegalovírus, relata que algum dos efeitos indesejáveis da doença transmitida pela mãe pode causar desde a cegueira no bebê até o parto prematuro e, por vezes, o abortamento.
Após o quadro primário, segundo esse Departamento de Saúde, o vírus permanece inativo no organismo, podendo ser reativado em situações de exceção (como a imunodepressão, por exemplo). Também, segundo afirmam, podem ocorrer sintomas tardios, após o parto, como déficit mental e motor, surdez, atrofia óptica e cegueira, espasticidade motora, etc.
Mulheres cuja profissão exija estar em contato com grande número de pessoas, como médicas, professoras e atendentes hospitalares precisam redobrar os cuidados e fazer exames prévios caso queiram engravidar, e mesmo depois de constatada a gravidez. Já em estado gestacional, a ultrassonografia é utilizada, mas sua eficácia quanto à comprovação do citomegalovírus no feto ainda não é definida.
Na verdade, muitas pessoas, principalmente aquelas portadoras de HIV, convivem com o vírus, que só não se manifesta se o sistema imunológico estiver saudável e controlar sua ação. Nos casos em que as defesas imunológicas são enfraquecidas pelo HIV, então o citomegalovírus (CMV) pode atacar diversas partes do corpo.
O tratamento, com exceção das gestantes, inclui medicamentos que vão desde os de tomada diária até os de tomada uma vez por semana, a critério médico. Em caso de gestação, no entanto, muitos desses medicamentos são desaconselhados pois não se sabe que efeito pode causar no feto.
A melhor conduta é a informação e, com ela, a mãe evitar o contato com pessoas portadoras de CMV (cuja doença se parece com a mononucleose), redobrar os cuidados de higiene e fazer repousos, pedindo afastamento temporário do trabalho principalmente se trabalhar em locais públicos.
Todos os estudos sobre o CMV retornam ao mesmo ponto, salientando que quanto maior o grau de educação e melhores as condições ambientais do local onde vive a mãe, menor a incidência da doença. E ainda, dentre as mães com CMV, algumas são as crianças diagnosticadas positivas, porém nem todas.
Em outras palavras, diz Dr. Vitor - e dependendo da região onde a gestante é assistida, se tem mais ou menos recursos e informações disponíveis - é muito susto para pouca doença.

Série: Mamães de Primeira Viagem - AS TEMIDAS CÓLICAS


É normal os recém-nascidos terem cólicas nos primeiros meses de vida, mas para a sorte dos pais essas monstruosas cólicas somente três meses, porém para os pais parece que tudo aquilo dura uma eternidade que nunca mais irá acabar, mas tenha fé que tudo dará certo.
O negócio é os pais entenderem porque seus pequeninos têm essas insuportáveis cólicas, pois assim irão se acalmar e saber como cuidar deles. O mais horrível de tudo é que o bebê não pára de chorar, as perninhas ficam encolhidas e seus dedinhos crispados de tanta dor. 
O ideal é os pais terem calma e passar tranqüilidade para o bebê, pois assim irá conseguir acalmá-los. Os recém-nascidos têm cólicas porque eles possuem uma imaturidade em seu sistema gastrointestinal, o qual controla as contrações do nosso organismo. 
Quando somos pequenos o processo de formação e funcionamento gastrointestinal ainda não está formado e com isso fazem com que ocorram movimentos intestinais descontrolados que fazem com que os pequenos sintam dores. Para combater as cólicas é preciso ficar calmos, pois senão o bebê terá ainda mais dor. 
Faça massagens circulares na barriga e aqueça com uma bolsa térmica junto com a flexão e extensão das perninhas do bebê. Fique o tempo todo colado com seu bebê, pois o contato com a pele tem efeito relaxante e calmante. Assim ajudarão seu bebê a passar essa época tão complicada sem sentir muitas dores.

Série - Nome para o meu bebê: Os 50 Nomes mais registrados de 2011 (Menino)


E hoje vamos ver os nomes de meninos mais registrados do Ano passado.
O nome que você escolheu está aí no meio? Já sabe o significado?
Se não sabe ainda, é só clicar em cima do nome escolhido!
  1. Miguel 
  2. Davi 
  3. Gabriel 
  4. Arthur 
  5. Lucas 
  6. Matheus 
  7. Pedro 
  8. Guilherme 
  9. Gustavo 
  10. Rafael 
  11. Felipe 
  12. Bernardo 
  13. Enzo 
  14. Nicolas 
  15. João Pedro 
  16. Pedro Henrique 
  17. Cauã 
  18. Vitor 
  19. Eduardo 
  20. Daniel 
  21. Henrique 
  22. Murilo 
  23. Vinicius 
  24. Samuel 
  25. Pietro 
  26. João Vitor 
  27. Leonardo 
  28. Caio 
  29. Heitor 
  30. Lorenzo 
  31. Isaac 
  32. Lucca 
  33. Thiago 
  34. João Gabriel 
  35. João 
  36. Theo 
  37. Bruno 
  38. Bryan 
  39. Carlos Eduardo 
  40. Luiz Felipe 
  41. Breno 
  42. Emanuel 
  43. Ryan 
  44. Vitor Hugo 
  45. Yuri 
  46. Benjamin 
  47. Erick
  48. Enzo Gabriel 
  49. Fernando 
  50. Joaquim 

Catapora na Gravidez



ESTOU GRÁVIDA E QUERIA SABER SE TENHO QUE EVITAR CONTATO COM PESSOAS QUE ESTÃO COM CATAPORA 

Se você já teve catapora na infância, provavelmente não tem motivo para se preocupar. Seu corpo já produziu anticorpos contra o vírus, o que a tornou imune a novas infecções. Agora, se você acha que não teve catapora, então é melhor não ficar no mesmo ambiente que pessoas com catapora ou herpes zóster (infecção causada pelo mesmo vírus da catapora).

QUAIS OS RISCOS SE EU TIVER CATAPORA?

A catapora pode ser mais grave se for contraída durante a gravidez. Seu médico poderá receitar o remédio aciclovir (nome genérico), que reduz a gravidade e a duração da catapora, mas que só funciona se for dado dentro de 24 horas a partir do aparecimento das erupções no corpo. Acredita-se que o aciclovir seja seguro para mulheres com menos de 20 semanas de gestação. Mas, depois do terceiro mês, os médicos têm mais receio de receitá-lo devido a um risco em tese de afetar o bebê. 
Os riscos para o bebê mudam drasticamente dependendo do estágio da gravidez em que você pegou a catapora. Antes de 13 semanas, o risco é pequeno, e apenas 0,4 por cento dos bebês apresentam alguma má formação. Crianças cujas mães tiveram catapora entre a 13a e a 20a semana estão em uma zona de risco ligeiramente maior. Cerca de 2 por cento delas nascerão abaixo do peso ou terão problemas de visão ou marcas na pele. Pode ser que elas também demorem um pouco mais para atingir certos marcos do desenvolvimento. 
 Se a catapora aparecer entre a 20a e a 36a semanas de gestação, ela não deve afetar o bebê, embora seja possível que ele tenha herpes zóster nos primeiros anos de vida. Depois da 36a semana, os riscos voltam a aumentar. Caso você contraia catapora pouco antes ou pouco depois do parto, o bebê corre seriíssimos riscos. Se isso acontecer, ele receberá uma injeção de imunoglobulina antivaricela zóster para reduzir a possibilidade de ser gravemente afetado pela doença. 

COMO SABER SE O MEU BEBÊ FOI AFETADO AINDA DURANTE A GESTAÇÃO? 

Uma ultra-sonografia morfológica pode ser realizada entre a 18a e a 20a semana de gestação para verificar se os órgãos vitais do bebê estão com aparência saudável. Seu médico ou o ultra-sonografista também conseguem ver se os membros e o cérebro do bebê estão se desenvolvendo conforme deveriam. É importante ter em mente, contudo, que o ultra-som não detecta todos os tipos de anomalias congênitas, por isso não há garantia total de que o bebê nascerá sem nenhuma sequela. 

SE NÃO TIVE CATAPORA AINDA, VALE A PENA TOMAR A VACINA? 

Não se você já estiver grávida. Caso ainda não esteja, pode ser uma boa idéia, mas você vai ter que esperar três meses depois da imunização para tentar engravidar. 

TIVE CONTATO COM UMA PESSOA COM CATAPORA E NÃO TENHO CERTEZA SE JÁ SOU IMUNE. O QUE DEVO FAZER?

É possível realizar um exame de sangue para checar se há presença ou não de anticorpos da catapora no seu corpo. Mas ele tem que ser feito de 24 a 48 horas após o contato com a doença. Lembre-se de que a catapora permanece contagiosa desde 48 horas antes de as feridas aparecerem no corpo até todas elas terem formado crosta. Se o resultado do exame apontar que você não tem anticorpos, isso quer dizer que não é imune à doença e que há uma boa chance de ter contraído. Nesse caso, os médicos costumam receitar uma injeção de imunoglobulina antivaricela zóster (VZIG), que servirá para amenizar a gravidade da infecção. Para ser eficaz, ela tem que ser tomada até dez dias depois da exposição ao vírus.


Infecções que merecem atenção na gravidez

Uma infecção durante a gravidez pode ser algo bem assustador. Fique tranquila quanto a um resfriado, mas preste atenção em outras coisas que podem ser bem mais sérias e que têm potencial para prejudicar o bebê. 

A melhor maneira de se proteger é tomar as vacinas recomendadas antes de engravidar e, durante a gestação, ficar longe de gente que esteja com alguma infecção (ou até suspeita) e tomar cuidado com o que você come. 

São eles:

Gripe H1N1 na gravidez
Hepatite B na gravidez
Herpes genital
HIV e Aids
Infecção por cândida (candidíase) na gravidez
Infecção urinária
Listeriose
Rubéola
Sífilis na gravidez
Toxoplasmose na gravidez

Doenças autoimunes comprometem gravidez

14 janeiro 2012

Tava vendo Mulher 360º, quando vi essa matéria. Achei interessante postar pra vocês ficarem atentas!!


As doenças autoimunes formam um grupo de mais de 80 problemas crônicos de saúde que envolvem quase todos os órgãos do corpo. Em todas elas, o sistema imunológico do organismo se torna desregulado, atacando os mesmos órgãos que deveria proteger. De acordo com Assumpto Iaconelli Júnior, especialista em Reprodução Humana e diretor do Fertility – Centro de Fertilização Assistida, em São Paulo, 75% desse grupo de doenças acometem mulheres e muito frequentemente nos anos mais férteis.
A doença autoimune afeta principalmente o tecido conjuntivo, mas também compromete nervos, músculos, sistema endócrino e gastrintestinal. O maior problema para quem deseja ter filho é que, além da possibilidade de afetar a fertilidade da mulher, esse tipo de problema aumenta as chances de abortos espontâneos. Ou seja: a paciente precisa de tratamento em duas fases. Na primeira, para conceber; na segunda, para evitar a perda do bebê”, diz Iaconelli.
As doenças autoimunes mais comuns são a artrite reumatóide, a esclerose múltipla, a tireoidite, a psoríase e o lúpus. Na opinião do médico, o lúpus, que pode afetar diversos órgãos do corpo, como pele, rins, articulações e sistema circulatório, pode resultar em maior comprometimento da fertilidade. “Há quem advirta a paciente a abrir mão de ter filhos, mas as opiniões divergem. A boa notícia é que, com um tratamento bastante incisivo, muitas mulheres superam o problema e têm seus filhos, finalmente”.
Para o especialista em reprodução humana, é importante que a mulher portadora de lúpus, por exemplo, tome alguns cuidados ao decidir engravidar, limitando o risco de abortamento. “Sendo crônica, toda doença autoimune apresenta fases de remissão e de surtos. Além disso, os medicamentos de controle da doença podem comprometer ainda mais a fertilidade feminina. O planejamento de uma gravidez tem de levar em conta essas fases para não pôr em risco a vida da mãe ou ainda do bebê”.

Fonte: Mulher 360º


Interessante né?! Então tentantes, já foram ao médico pedir exames para ter certeza de que não tem nenhuma doença autoimune?

Alimentação na gravidez: saiba tudo sobre o cálcio

Estava aqui fuçando minhas postagens e vi que tenho dois posts, editados, bonitinhos, prontos para serem postados, porém esquecidos UAHEUAHAU...



Por que é importante ingerir cálcio na gravidez? 
O cálcio é um mineral importante porque é a matéria-prima de ossos e dentes, entre outras coisas. Ele está presente no leite e em vários alimentos, e você precisa ingeri-lo na gravidez para garantir que seu bebê em desenvolvimento tenha ossos e dentes fortes, um coração saudável, assim como bons nervos e músculos.
Além disso, o feto precisa do cálcio para equilibrar os batimentos cardíacos e a capacidade do sangue de se coagular.
Quando o consumo de cálcio na gravidez é baixo, o bebê acaba "roubando" parte dele dos ossos da mãe, o que pode ter consequências ruins para ela.

Qual é a quantidade de cálcio necessária? 
Mulheres grávidas acima de 18 anos devem consumir por volta de 1 grama por dia de cálcio; para gestantes abaixo de 18 anos, a recomendação é de cerca de 1,3 grama.
Para ficar mais fácil, saiba que 1 grama equivale a 1.000 mg (miligramas).
Para você ter uma ideia de como conseguir ingerir essa quantia através dos alimentos, procure consumir quatro porções de produtos ricos em cálcio por dia (veja nossa lista com sugestões abaixo).
Mesmo depois que o bebê nascer e você já tiver parado de amamentar, continue prestando atenção ao cálcio que você inclui na sua alimentação, porque ele ajuda a fortalecer seus ossos e a prevenir perda óssea (osteoporose) mais para a frente.

Alimentos ricos em cálcio 
Leite e seus derivados são importantes fontes de cálcio, mas não são as únicas. Tenha o costume de ler as informações nutricionais das embalagens de produtos que você consome antes de comprá-los.


• 1 potinho de iogurte natural (220 gramas): 275 mg
• 1 xícara de ricota: 509 mg
• 1 xícara de sorvete de chocolate: 144 mg
• 1 xícara de leite semidesnatado: 293 mg
• 2 fatias de queijo tipo mussarela: 143 mg
• 2 fatias de queijo tipo provolone: 214 mg
• 1 fatia de queijo minas: 137 mg
• 1 xícara de espinafre cozido: 245 mg
• 1 colher de sopa de gergelim: 88 mg
• 12 amêndoas torradas inteiras: 37 mg


Grávidas têm que tomar suplemento de cálcio? 
Só o médico que acompanha a sua gestação poderá determinar se sua ingestão de cálcio não é suficiente e, portanto, um suplemento é necessário.


Por mais que o cálcio seja fundamental na gravidez, doses exageradas podem acabar prejudicando o seu corpo, causando prisão de ventre, aumentando o risco de pedras nos rins e afetando sua capacidade de absorver ferro e zinco dos alimentos.
Lembre-se ainda que a ingestão de vitamina D (presente em peixes gordurosos como o salmão e também em leite e ovos) é essencial para que seu corpo absorva o cálcio e tire proveito de todas as suas propriedades.
Os multivitamínicos que os obstetras muitas vezes receitam para grávidas costumam conter um reforço de cálcio.


Se você perdeu o post sobre a importância do ferro na gravidez, clique aqui

Cardápio pós-parto

13 janeiro 2012

,
Depois da amamentação, a dieta pode ficar mais magra, mas ainda assim é importante manter os mesmos nutrientes para que o corpo não sinta o baque e adoeça. Ainda não dá para fazer uma dieta de 1200 calorias: o ideal para quem quer perder peso é seguir um cardápio com cerca de 1500 calorias por pelo menos três meses após o desmame. Seja compreensiva com o seu organismo e lembre-se de que ele sofreu grandes transformações durante a gestação. Não espere recuperar as curvas em menos de seis meses – mesmo porque, internamente, seu organismo vai levar cerca de um ano para voltar ao que era antes. A seguir, confira os cardápios propostos pela nutricionista Gabriella Guerrero Pereira – para a mãe que está amamentando e para quem já parou de amamentar.

Perca peso enquanto amamenta

O cardápio da mulher que está amamentando deve conter aproximadamente 1900 calorias por dia

Café da manhã

Opção 1
• 1 copo de suco de abacaxi com hortelã
• 2 fatias de pão integral light
• 2 col. (sobremesa) de queijo cottage
• 1 fatia média de melão


Opção 2
• 1 copo de iogurte natural desnatado batido com ½ papaia e 1 col. (sobremesa) de linhaça
• 1 fatia de pão integral light com 1 fatia fina de queijo de minas e 1 col. (sobremesa) de geleia sem açúcar
• 1 xíc. de chá de ervas*


Opção 3
• 1 xíc. (chá) de salada de frutas (banana, maçã, mamão, melão e morango)
• 1 copo de iogurte natural desnatado com 3 col. (sopa) de aveia
• 1 col. (chá) de mel
• 1 fatia de pão integral light com 1 ponta de faca de margarina light


Lanche da manhã

Opção 1
• ½ papaia com 2 col. (sopa) de aveia e 1 col. (sobremesa) de linhaça
• 1 xíc. de chá de ervas*


Opção 2
• 1 Polenguinho Light
• 1 banana
• 1 xíc. de chá de ervas*


Opção 3
• 1 fatia fina de bolo simples
• 1 xíc. de chá de ervas*


Almoço 

Opção 1
• 1 prato (sobremesa) de salada: agrião, rúcula, alface, tomate, cenoura e erva-doce com 1 col. (sopa) de azeite
• 3 col. (sopa) de arroz integral
• 2 conchas cheias de feijão
• 1 filé médio de frango grelhado (130 gramas)
• 1 pires de brócolis no vapor com lascas de amêndoa


Opção 2

• 1 prato (sobremesa) de salada: alface, tomate, ricota esfarelada e lascas de maçã com 1 col. (sopa) de azeite
• 2 col. (sopa) de purê de mandioquinha
• 1 concha de lentilha
• 4 col. (sopa) de carne moída magra
• 4 col. (sopa) de abobrinha refogada


Opção 3
• 1 prato (sobremesa) de salada: folhas verdes-escuras, beterraba ralada e pepino com 1 col. (sopa) de azeite
• 2 col. (sopa) de suflê de espinafre
• 2 col. (sopa) de batata cozida ou assada ou 1 xíc. (chá) de macarrão integral cozido com 1 fio de azeite
• 1 filé grande de peixe grelhado (150 gramas)
• 3 col. (sopa) de vagem refogada


Lanche da tarde

Opção 1
• 2 torradas integrais com 2 col. (sobremesa) de geleia sem açúcar
• 1 xíc. de café com leite desnatado


Opção 2
• 1 fatia de pão integral light com 1 fatia de queijo de minas
• 1 copo de suco de uva sem açúcar


Opção 3
• 1 barrinha de cereais
• 1 copo de água-de-coco
• 1 maçã


Jantar 

Opção 1
• 1 prato de sopa de legumes
• 1 filé médio de frango grelhado (130 gramas)
• 4 col. (sopa) de cenoura cozida

Opção 2
• 1 prato de sopa de espinafre
• 1 abobrinha média recheada com carne moída e tomate
• 3 col. (sopa) de ervilha torta refogada


Opção 3
• 1 prato (sobremesa) de salada: folhas verdes-escuras, tomate e cenoura ralada com gotas de limão
• 3 col. (sopa) de arroz integral com ervilha
• 1 filé médio de salmão grelhado (130 gramas)
• 1 berinjela assada


Ceia 

Opção 1
• 1 banana assada com canela
• 1 xíc. de chá de ervas*


Opção 2
• 1 copo de iogurte de frutas com 1 col. (sopa) de aveia • 1 xíc. de chá de ervas*

Opção 3
• ½ xíc. (chá) de frutas secas (damasco, castanha-do-pará, nozes e amêndoas)
• 1 xíc. de chá de ervas*


Lanche da madrugada
(Para depois da mamada)

Opção 1
• 1 bananinha seca sem açúcar

Opção 2
• 1 copo de iogurte de frutas

Opção 3
• 1 copo de água-de-coco

* Erva-doce, camomila, cidreira ou hor
telã.

Fonte: Boa Forma

25 dicas para voltar à forma depois da gravidez

Demorei mas cheguei com as dicas pra pós-parto. Hehe 


O bebê nasceu? Agora vale todo esforço para recuperar a silhueta antiga e se livrar dos vestígios da gestação. Veja as dicas de alimentação, malhação e tratamentos estéticos que vão ajudá-la nesta tarefa totalmente possível. Basta você querer e, claro, muita disposição!


Se, por um lado, ser mãe é o sonho da maior parte das mulheres, por outro, as conseqüências como seios caídos, barriguinha saliente e flácida e excesso de gordura, também são os MAIORES TEMORES. Mas, segundo os especialistas, dá, sim, para voltar à forma após o parto e ser uma mamãe esbelta novamente, incluindo na rotina um cardápio balanceado, atividade física freqüente e, sem esquecer, claro, da ajuda dos tratamentos estéticos. A maior vantagem é que tudo isso é possível sem cirurgia. Quatro profissionais no assunto, a dermatologista Márcia Pontes Farjardo, especialista em Medicina Estética, (RJ), o professor de Educação Física Sérgio Gelotti, da Academia Bio Ritmo, (SP), a fisioterapeuta Ana Telma Pais, do São Pedro Spa Médico, (Sorocaba, SP) e a nutricionista Mônica Beyruti, (SP), cada um na sua área, selecionaram os truques que garantem o sucesso na recuperação do seu corpo. 

Confira:

1. Amamente à vontade. O ato gera um grande gasto de energia, fazendo o corpo consumir gorduras e queimar calorias (até 600 por dia).

2. Depois do nascimento do bebê é importantíssimo deixar o corpo hidratado para a produção de leite e também para manter a forma. Beba, se possível, dois litros de líquido por dia: água, chá, sucos ou água de coco. O chá verde, por exemplo, ajuda não só a reidratar o organismo como a varrer algumas gorduras e impurezas através da urina.

3. Evite alimentos ricos em açúcares como doces e guloseimas em geral, frituras, comidas de fast-food, molhos gordurosos e salgadinhos. Eles são altamente calóricos, nada nutritivos e só ajudam a acumular excessos onde não deve.

4. As bebidas gaseificadas podem aumentar a formação de gases e causar distensão abdominal, deixando a barriga ainda mais saliente. Fuja deste tipo de líquido que também é rico em calorias vazias e açúcares. Dê preferência aos sucos naturais. Se forem industrializados, opte pelos lights.

5. Gorduras trans – gordura vegetal hidrogenada – é um veneno para a saúde e para a forma. Elas geralmente estão presentes em algumas margarinas e produtos industrializados como molhos prontos para saladas, batata frita, massa e pães folhados, chocolates e biscoitos recheados. Prefira sempre as gorduras derivadas de óleos vegetais como canola, girassol, milho, soja e azeite de oliva.

6. É necessário extremo controle também com o consumo de gorduras saturadas. Elas aumentam o nível de colesterol ruim (LDL) no sangue e, por tabela, engordam que é um estouro. Troque os alimentos de origem animal como leite integral, creme de leite, queijos amarelos e carnes gordas pela versão desnatada ou light, queijos brancos e carnes magras, como alcatra, coxão duro e mole, lagarto, filé-mignon, peixes e frango. Todos, se possível, grelhados ou assados.

7. Faça, no mínimo, cinco refeições ao dia, com intervalo de três horas. Se você se alimentar em períodos curtos, nunca chegará à próxima com fome. Também modere na quantidade de comida e dê preferência aos alimentos de baixa caloria.

8. Adote a gelatina diet como sua sobremesa favorita. Sabe por quê? Ela possui cerca de 90% de proteína, que reconstrói as fibras de colágeno, deixando a pele mais firme, tem 0% de gordura, nenhum grama a mais de colesterol e é riquíssima em água.

9. Evite tomar cerveja. Embora seja diurética, a bebida é bem calórica (uma lata de 355 ml tem cerca 130 calorias) e responsável pelo acúmulo de gordura justamente no abdômen. Outras opções alcoólicas também devem ser evitadas, principalmente as destiladas. Uma dose de caipirinha de fruta com pinga e açúcar, por exemplo, soma 354.

10. As atividades aeróbicas, isto é, que aumentam as batidas do coração para promover a queima de calorias, podem ser inseridas na rotina 15 dias após o parto. Porém, é preciso a alta médica. Comece com programas levíssimos, como a caminhada devagar, durante 30 minutos, e vá aumentando o ritmo. Faça no mínimo três vezes por semana.

11. Depois do segundo mês pós-gestação dá para apostar nos equipamentos que derretem gordura na academia, cerca de 400 a 800 calorias, durante uma hora, como a bicicleta, esteira, elípticos (transport) e cardiowave. Se você não curte muito os templos da malhação, vale a pena partir para os exercícios ao ar livre, como a caminhada moderada, corrida, bike, subir e descer escadas. Faça, no mínimo, três vezes por semana, durante 30 minutos.

12. Como a barriga é, sem dúvida, a parte do corpo que mais sofre com a gravidez, as aulas de abdominais são tiro e queda para ajudá-la a melhorar de forma gradual. Procure nas academias aulas que movimentem esta região. As feitas com a fit ball (bola gigante) são sempre uma boa pedida, pois exigem que os músculos superficiais e os internos da região abdominal estejam contraídos o tempo todo. Os abdominais tradicionais também são muito bem-vindos e podem ser feitos em casa, começando com apenas 10 por dia.

13. Coma boa quantidade de frutas, legumes e verduras. Eles são excelentes fontes de vitaminas e fibras que auxiliam no bom funcionamento intestinal, saciam a fome e tem baixo valor calórico. De quebra, são fartos em água, auxiliando no processo de hidratação do organismo.

14. É comum que regiões como abdômen, peito, costas e a lombar precisem ser enrijecidas depois de dar à luz. É necessário mesclar os exercícios aeróbicos (para perder peso) com a musculação (para deixar tudo durinho). Faça-os três vezes por semana na academia (ou em casa) com caneleira ou pesinhos para tonificar todos os músculos. Vá aumentando progressivamente.

15. Modalidades como o pilates e a ioga são indicadas não só durante a gestação, pois auxiliam a exercitar a pélvis, facilitando a passagem do bebê, como também após o nascimento. Ambas fortalecem (e muito!) todos os músculos, principalmente da barriga, aumentam a força, a flexibilidade e beneficiam a postura. Sem contar que derretem cerca de 500 calorias e funcionam como uma terapia, deixando a mente relax.

16. A intradermoterapia é indicada só após a amamentação para acabar com a gordura localizada na barriga. Consiste na aplicação de um mix de substâncias para queimar o excesso de gordura. O coquetel é injetado através de agulhas finíssimas em toda a extensão do abdômen. São recomendadas de 5 a 10 sessões, com intervalo de 15 dias. Preço médio por sessão: R$ 150.

17. Um dos únicos procedimentos que pode ser feito, antes, durante e depois da gravidez é a drenagem linfática, massagem que estimula o sistema linfático a trabalhar mais rápido, para limpar toxinas do organismo e eliminar líquidos. Pode ser manual ou com aparelho. Preço por sessão: R$ 60.

18. Sabe aqueles pneuzinhos que se alojam na cintura e laterais? Eles podem ser exterminados com ultra-som, aparelho de ondas sonoras que facilita a penetração de gel lipolítico para amolecer e quebrar os nódulos de gordura. São necessárias cerca de dez sessões. Preço por sessão: R$ 180.

19. Para acabar com a celulite, a gordura localizada e a flacidez do corpo todo, aposte na carboxiterapia. As injeções de gás carbônico na derme provocam a vasodilatação e a oxigenação das células adiposas. Além de dissolver os nódulos, também estimulam a produção de fibras de colágeno responsável pela firmeza cutânea. São indicadas de 6 a 18 aplicações, uma vez por semana. Cada uma: R$ 150.

20. Se a flacidez muscular escolher o seu bumbum, barriga e pernas, experimente a estimulação russa. Os eletrodos do aparelho em contato com a pele causam uma contração muscular por estímulos elétricos, ajudando a tonificar a musculatura. São indicadas de 10 a 15 sessões, uma a duas vezes por semana. Preço médio por sessão: R$ 120.

21.  A lipoescultura ajuda a desfazer os nódulos de gordura e celulite e ainda ativa a circulação. Para fazer a massagem modeladora os profissionais usam cremes que também atuam na queima de gordura. Faça10 sessões, uma vez por semana. Preço médio por sessão: R$ 150.

22. A flacidez, é sem dúvida, a pior herança da gravidez no corpo da mulher. Uma boa opção contra ela é utilizar o Accent, aparelho de radiofreqüência que produz um calor intenso na área a ser tratada, favorecendo a formação de um novo colágeno e o enrijecimento. Este tratamento é feito em quatro sessões. Preço por sessão: R$ 700.

23. Para auxiliar no combate à flacidez corporal, o Titan também é utilizado. Trata-se de uma máquina que emite luz infravermelha e aquece a derme a 50º C (mantendo as camadas superficiais frias) e desenvolve um novo colágeno, deixando a pele mais firme. São necessárias duas sessões. Preço médio por sessão: R$ 1.500.

24. O Dermawave é um típico aparelho 3 em 1. Ele tem ponteiras distintas de ultra-som (que emite ondas sonoras), eletroterapia (ondas elétricas) e eletroporação (que abre os poros das celulas para entrada de ativos), por isso, é eficiente no combate à celulite, estrias e gordura localizada, onde quer que elas estejam. O aparelho é programado de acordo com a necessidade. Para celulite e gordura localizada são recomendadas de 5 a 10 sessões, já para estrias, de 10 a 20. Preço médio por sessão. R$ 200.

25. É normal, após a amamentação, os seios ficarem caidinhos e com pele sobrando. O tratamento estético que ajuda a “levantar” a região é com aparelhos de microcorrentes de baixa freqüência. Eles estimulam a oxigenação, a produção de colágeno e o enrijecimento dos peitorais. São necessárias, no mínimo, dez sessões. Preço por sessão: R$ 150

Fonte: Dieta e Cia.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...